Menu
Your Cart

INFOPROLETÁRIOS NA ERA DA TELEMÁTICA: O TRABALHO NAS CENTRAIS DE TELEATENDIMENTO

INFOPROLETÁRIOS NA ERA DA TELEMÁTICA:  O TRABALHO NAS CENTRAIS DE TELEATENDIMENTO
INFOPROLETÁRIOS NA ERA DA TELEMÁTICA: O TRABALHO NAS CENTRAIS DE TELEATENDIMENTO
R$65,00
  • Estoque: Em estoque
  • Modelo: 170
  • Peso: 300.00g
  • Dimensões: 21.00cm x 15.00cm x 15.00cm


Gabriela de Campos Sena 

Gabriela de Campos Sena 



1ª Edição

Ano :2019 

Páginas: 119


As atividades exercidas pelos infoproletários assumem traços, características e peculiaridades deixadas pelo processo de reestruturação produtiva. Isso significa que, além de desencadear uma crise, o novo complexo de reestruturação produtiva também promove o adoecimento físico e psíquico através da captura da subjetividade do trabalhador e, principalmente, através da desumanização dos métodos de controle utilizados para estimular o aumento da produtividade. A obra demonstra processo de robotização, uma vez que o trabalho do teleoperador é pautado pelo uso das tecnologias da informação, que organizam e controlam a atividade marcada por intenso fluxo informacional, pela rotinização da comunicação e pela presença de um rígido script de trabalho cujo objetivo central consiste em aumentar a eficácia comercial associada à redução do tempo de conexão, com metas inalcançáveis impostas aos trabalhadores. O livro também demonstra o funcionamento das centrais de teleatividade e apresenta os termos, conceitos e componentes dos Call Centers/Contact Centers. Apesar da utilização do termo call center, a doutrina pontua que houve uma evolução para contact center, que são centrais modernas, com instrumentos aptos a integrar as mais diferentes mídias como, por exemplo, internet, vídeo, sala de bate papo, voip, entre outras tecnologias. A obra traz entrevistas com vários trabalhadores e se pauta pela leitura etnográfica da relação de trabalho dos inforproletários e da possibilidade de conhecimento dos problemas da categoria em perspectivas multifacetárias.


SUMÁRIO 

1. Introdução 

2. Diagnóstico dos principais problemas e desafios trabalhistas da categoria de telecomunicações

3. Problemas coletivos e intersindicais diagnosticados no setor de telecomunicações: ampliação da pulverização da categoria e perda de representatividade como reflexos dos problemas coletivos e intersindicais

4. Fatores desencadeadores dos problemas trabalhistas afetos ao setor de telecomunicações: o impacto da privatização do sistema Telebrás, a desumanização do método de gestão das centrais de teleatendimento e as consequências na saúde física e mental dos trabalhadores

5. Considerações finais

 

Referências Bibliográficas


Escreva um comentário

Nota: HTML não suportado.
Ruim Bom
Este site utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar navegando neste site, você concorda com a nossa Política de Privacidade e com a utilização destas tecnologias.